Identificados os amigos de Passos Coelho no Facebook

Se dúvidas havia , o Diário Económico fez as contas , e apurou que o mimo que Passos Coelho deu ao grande capital, vai ultrapassar em três empresas, cada uma delas mais de 50 milhões de euros.

Com a redução da Taxa Social Única , a EDP , Brisa e BCP ganharam o jackpot sem jogar.  Começa a ser costume as grandes empresas em Portugal receberem assim prémios de tal ordem, por tamanho serviço público que prestam ao país.

A EDP vende energia baratinha. A Brisa mantém as estradas limpinhas e sem portagens e o BCP é um fixe , pois quase não cobra taxas aos seus clientes. O Governo decidiu reconhecer-lhes o mérito e premiou-os antes do Natal.

Foi assim desfeito o enigma. Estão encontrados aqueles a quem Passos Coelho se dirige como amigos no Facebook.

Só 20 arrecadam quase 53 milhões de euros

Imagem

A crise que vivemos não é só financeira. É especialmente de valores. Portugal virou um país de vampiros.  Enquanto milhares de jovens neste país estão no desemprego , sem expectativa de um futuro que lhes dê estabilidade,  e outros trabalham em call centers , levando meia dúzia de euros ao final do mês; os gestores de algumas das empresas públicas mais conhecidas em Portugal , não se privam de levar para casa dezenas de milhares de euros ao final do mês. A imoralidade é tanto maior, que além de um único salário , já por si imoral , multiplicam-nos com dezenas de outros , uma vez que fazem parte dos órgãos sociais de outras empresas ou grupos sem nunca lá porem os pés.  A sem vergonhice não tem fim , pois são estes mesmos que  estabelecem que um jovem estagiário não deve ganhar nenhum ao trabalhar nas empresas que gerem.

O PSP desafiou o PS que lhe desse alternativas às medidas anunciadas na sexta-feira. Ora aqui está uma boa por onde começar. Tabelar  e estabelecer um tecto máximo aos ordenados dos gestores.  Seria um bom principio, mas Passos Coelho não durará até lá.

O PSD sabe que o PS sabe …

Depois do anúncio descarado do Primeiro Ministro Passos Coelho , ocorreu-me  aceder ao Facebook ver a reacção pronta e a quente dos portugueses.  Ainda muito atónitos e incrédulos se aquelas medidas anunciadas eram finalmente para se aplicar ao senhores do grande capital. Afinal não ! Eram para os mesmos. Aqueles que trabalham e sustentam a sanguessuga máquina do Estado já a muito custo desde alguns anos a esta parte. Mas agora foi por demais. Já ninguém consegue dar mais! A fúria lia-se e lê-se nas palavras de ordem que circulam na maior rede social.

Já ontem, o PSD pedia ao PS que desse medidas alternativas aquelas anunciadas . Mas rapidamente me apercebi do que queria dizer a mensagem subliminar naquele desafio dos laranjas. E é o seguinte claramente. O PSD sabe que o PS sabe  como funcionam as coisas quando se tomam decisões políticas de taxar as grandes fortunas, de fazer os ricos pagar a crise. Não se rouba o pão a quem nos dá a carne. São os grandes grupos económicos que financiam os partidos políticos, que financiam milhares de milhões de euros em publicidade eleitoral , no desempenho da máquina eleitoral de ambos os partidos. São também esses grandes grupos que empregam os boys , quando os mesmos deixam a política para passar a trabalhar em altos cargos nessas mesmas empresas beneficiadas.

Passos Coelho e o PSD sabem disso , e o PS também sabe. O desafio de pedir ao PS que lance os dados para dar novas alternativas às medidas anunciadas agora, não passam por tocar nos senhores do capital , para nenhum destes partidos.  Eles sabem que ao fazê-lo estarão a assinar  a sua sentença de morte.

Isto só prova o quanto o sistema politico está ultrapassado, é imoral e visa apenas servir o interesse de meia dúzia em detrimento de milhões de portugueses, que são fustigados com impostos e níveis de vida insustentáveis.

Acabou-se o tempo ó Passos

Perguntar-me-ia que português não vocifera contra o Primeiro Ministro ao saber que de dia para dia o grande capital é isento à crise. Os mesmos que a provocaram , são aqueles mais vantagens têm na altura de pagar a factura.

Um artigo do jornal Público dá conta disso mesmo.

Ao anunciar mais austeridade para os portugueses, sem tocar nas medidas que visem repartir os sacrifícios entre o grande capital , Passos Coelho está como a dizer aos restantes portugueses, que são eles os responsáveis pelo endividamento, que são eles os responsáveis pelos desfalques que são eles também culpados pelo estado degradante a que o país chegou em todos os domínios,estando em causa a soberania de Portugal.

Acontece que se o actual Primeiro Ministro , tivesse dito ao que vinha , ele – Passos Coelho, estaria cheio de razão, e poderia afirmar – «eu avisei que vos ia sobrecarregar em impostos, mesmo assim votaram em mim». Mas não, preferir mentir , e mal chegado ao poder , lançou a carta que qualquer político rasca , tem na manga. Rapidamente afirmou que não sabia do estado da nação.  Mas isso não de todo verdade. Depois do PEC4 de Sócrates , todos nós sabíamos do estado calamitoso das finanças nacionais.  Isso faz com que  Passos Coelho , possa ser facilmente acusado de mentir , pois fê-lo com um único propósito , o de chegar ao poder.Existem cerca de dez milhões de testemunhas. Chama-se traição a uma nação, e neste caso a todo o povo português.

Os portugueses vão incriminar um dirigente que lhes deu esperança e que agora se constitui como o seu pior inimigo. O mais grave é que ao contrário de Pilatos , este político não pode lavar as mãos.  O seu último anúncio pelo Facebook é quase um aviso de guerra aberta com quem trabalha.  Nas suas palavras os grandes grupos financeiros ficarão ilesos, enquanto que,  para o comum lusitano ainda o esperam mais sacrifícios. Não , senhor Primeiro Ministro, está enganado. O povo português é tolerante, mas não é estúpido. Acabou-se o seu tempo de antena !

Porquê Passos Coelho é um homem perigoso

A primeira intervenção política  feita em Agosto por Passos Coelho usando o Facebook, é um atestado final do seguinte :

Os políticos portugueses não trabalham para o povo português, mas sim os grandes interesses financeiros . Até aos anos 90 esses móbil de interesses cingia-se apenas as grupos nacionais , como bancos, cimenteiras , grandes produtores, cadeias de distribuição.

Com a hegemonia da China , a visível decadência do dólar face ao euro, como moeda para trocas comerciais,os grandes grupos financeiros, a perder milhões , reinventaram,  e à tona veio aquilo que o ser humano tem de pior , – a ambição desmedida. Para saciar essa fome de capital , passaram a usar ferramentas e bens  já existentes , que todos nós usamos e consumimos e não nos podemos privar tão facilmente. Os senhores do capital passaram a especular sobre bens essenciais, como os alimentos e combustíveis. Em Portugal o resultado está à vista. Estamos totalmente dependentes destes dois face ao exterior, e assim débeis à pressão internacional qual queiram.

Os tão badalados mercados, sabendo que  a economia de um país se encontra débil, rapidamente jogam um trunfo, retiram-lhe financiamento, sobem-se os juros , e rapidamente estamos à mercê de quem está interessado.

Para isso servem-se de uma ferramenta de alocação de capitais para investimento , o FMI , que não é mais do que uma máquina de descapitalizar países , através de empréstimos a juros NÃO FIXOS , que em conjunto com um governo de um determinado país , mexem na legislação e aumentam impostos como queiram, desde que o objectivo seja aumentar os lucros dos investidores , enquanto a máquina FMI estiver em intervenção.

Em nossas casas , se há um mês que corre mal financeiramente, simplesmente evitamos saídas , idas ao cinema, e em casos mais graves cortamos na alimentação.

O parasita ESTADO não. Gasta-se tanto ou mais , à medida que existe mais capital a despender . Este ciclo vicioso de  ter cada vez mais dinheiro nunca mais irá acabar. Os compadrios que cada Governo faz , deixa um historial de mais exigência financeira , e essas são pagas com o sacrifício dos contribuintes ,já sufocados com tantos impostos.

Os governos, tem sempre alguém interessado em que o elo de colaboração com os grandes grupos finançeiros não se quebre.
Miguel Relvas já deu mostras que é o menino predilecto nesse campo. Mais haverá.

Passos Coelho é um peão,e esta subserviência só acabará quando o elo quebrar.

A corrente política actual não serve os portugueses.Ela lesa-os intencionalmente.
Quais mais tarde for , mais património ao desbarato será vendido, menos soberania restará.

Mas o mais grave , é que o Primeiro Ministro que chegou ao poder com base na mentira descarada , já avisou que os sacrifícios não páram por aqui.

O grande problema é que este homem, revelou-se antes de ter ganho as eleições , como a esperança da mudança. Ao chegar ao poder comporta-se como se o povo português fosse o seu pior inimigo. Hitler fez o mesmo.